Campanha de vacinação espera imunizar as crianças de São João del-Rei

Até o dia 31 de agosto, crianças de todo Brasil devem ser imunizadas contra o sarampo e a poliomielite

O próximo sábado, 18 de agosto, será o Dia D de mobilização da Campanha de vacinação. Essa data marca uma estratégia do Ministério da Saúde, para aqueles que não tem disponibilidade de se deslocarem até o posto de saúde durante a semana, podendo assim ser vacinados no sábado. Existe ainda uma outra alternativa para quem não pode se imunizar na semana: a vacinação noturna no posto do Matosinhos. Essa é a informação da enfermeira-chefe do setor de vigilância epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde de São João del-Rei, Eliene Freitas.

A Campanha de vacinação contra poliomielite e sarampo teve início em todo o país  no dia 06 de agosto. O público alvo são crianças com idade entre 1 e 5 anos, que são mais propensas  a contrair a doença e suas possíveis complicações. Cerca de 3.600 crianças são esperadas para receber a dose da vacina. O  término da campanha está previsto para o dia 31 de agosto.

A enfermeira Eliene Freitas destacou a importância de manter o cartão de vacinação atualizado, chamando a atenção para a vacinação, como uma forma simples de evitar problemas sérios. “Vacina não é remédio. As crianças estarão protegidas contra o sarampo que traz grandes complicações, algumas muito sérias, podendo levar à morte. A paralisia deixa sequelas irreversíveis, que com simples gotinhas podem ser evitadas”, afirmou.

Ainda de acordo com a enfermeira, a vacina é contraindicada para pessoas que tiveram alguma reação à dose anterior, bem como para crianças com baixa imunidade.

A motorista Fabiana de Rezende (33) levou o seu filho Henrique Juliano (04)  para vacinar. “É necessário que as mães acompanhem o calendário de vacinação; assim a criança cresce saudável. As mães tem que trazer os filhos; eles dependem da gente”, afirmou. Para a dona de casa Carolina Garcia (30), a melhor forma de evitar a doença, é levando as crianças para se vacinarem, “Acho muito importante a vacinação: melhor que a doença. Eu sempre trago minha filha; é a picadinha do bem”, destacou.

O pequeno Henrique recebe as gotinhas. (Foto/VAN: Carla Marques)

Procure o posto ou unidade de saúde mais próximo. É necessário levar o cartão de vacinação da criança.

Importante: a enfermeira Freitas pede à população para procurar os postos de saúde da cidade e dos distritos, se for percebido qualquer sintoma de doenças. Entretanto, adverte que só procurem Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em casos de urgência ou emergência.

Texto/VAN: Carla Marques
Foto/VAN: Carla Marques

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *